•  
     

REVIEW XPERIA Z ULTRA

O foblet da Sony tem um visual elegante e vem equipado com boas configurações de hardware. O grande destaque do Xperia Z Ultra, no entanto, é seu corpo à prova d'água e poeira, além da excelente qualidade da tela Full HD.

O Xperia Z Ultra chama a atenção pelo seu tamanho. Afinal, não é todo dia que se vê um foblet com tela de 6,4 polegadas. À primeira vista, o gadget causa até curiosidade em quem observa, e por dentro abriga uma série de configurações de primeira. Além de tudo isso, ele é à prova d’água e poeira. Quer conhecer mais detalhes sobre o foblet da Sony? Então confira o review do Xperia Z Ultra preparado pelo TechTudo.

Imagem

Design

O Z Ultra tem um visual bonito e elegante com parte traseira e frontal em vidro. O corpo único do gadget, sem possibilidade de remover bateria ou tampa traseira, deixa ele com aspecto mas “moderno” e clean. O peso de 212 g não incomoda: o design fino dá a sensação de que o dispositivo é bem mais leve. Um detalhe que incomoda é que o gadget não parece nada resistente, equipado com essa estrutura de vidro.

O ponto ruim desse design arrojado é que ele fica engordurado com facilidade, cheio de marcas de dedo: o desenho elegante acaba ganhando um aspecto de "encardido". E pior: é bem difícil de limpar, não sendo suficiente dar aquela tradicional esfregada com um pano limpo. O jeito é aproveitar da sua resistência à água e mergulhar o aparelho para que ele volte a ter um visual agradável.


Imagem

Mas não se anime, porque o brilho e limpeza não duram muito. Além disso as bordas entre a tela e a lateral do aparelho acumulam crostas sujeira, o que não agrada nem um pouco. O display promete ser além de a prova d’água, resistente à poeira e cumpre essa função: as partículas não grudam, mas isso não parece grande vantagem quando tanto a parte da frente quanto a de trás ficam facilmente engorduradas com o uso.

Mas o grande problema do gadget não está no peso ou design mas nos dois juntos: essas características separadas são uma beleza, mas integradas formam um dispositivo nada prático no dia a dia, com péssimo desenho ergonômico. É bem fácil deixar o Xperia Z Ultra escorregar das mãos durante o uso, principalmente por ele ser comprido e fino. As bordas pretas laterais na tela são discretas, o que deixa o aparelho mais clean, no entanto não dão muito apoio para segurá-lo com firmeza durante o uso. Fazer uma ligação andando ou em algum meio de transporte é praticamente inviável.

Além disso, esse tamanho todo pode não agradar: ele é realmente grande para utilizar na rua e chama bastante a atenção quando o tiramos da bolsa. Ou seja, o foblet é caro e tem aparência de caro, o que pode atrair os ladrões de plantão.


Tela

O display de 6,4 polegadas tem uma resolução que impressiona. Com cores intensas e brilhantes, a qualidade Full HD (1080 x 1920 pixels) do Z Ultra parece ainda mais poderosa. além disso, o foblet é grande o suficiente para assistir confortavelmente a filmes e seriados, onde você quiser. Rodar vídeos com mais "profundidade" dão a sensação de que você está mergulhando no cenário pela amplitude e impressionante qualidade da tela do Z Ultra.

Imagem

A sensibilidade ao toque do display também não decepciona: leves movimentos já são suficientes para executar as ações. As bordas, superior e inferior, ajudam na hora de apoiar horizontalmente o aparelho sem esbarrar em algum aplicativo, na hora de ver algum filme, por exemplo. Por outro lado, as finas barras laterais não ajudam em nada quando utilizado na posição vertical.

O status de tela ultra-resistente não é tão super assim: com o uso leve, carregando o gadget dentro da bolsa, o display ganhou pequenos arranhões. Discretos, mas arranhões.

Um dos principais destaques do Xperia Z Ultra é que sua tela capacitiva responde ao toque de diversos objeto com material condutivo como um lápis, por exemplo, além da tradicional caneta Stylus. Isso é uma vantagem para quem trabalha com arte ou gosta de desenhar no dia a dia: um lápis por perto resolve seu problema.

Aplicativos como o popular Draw Something garantem a diversão e dão pontos para essa funcionalidade da tela. Apesar de ficarmos receosos de rabiscar um display tão elegante com um simples lápis, o Gorilla Glass 3 garante proteção extra. Mesmo a sensação sendo estranha, o recurso facilita e até agiliza o uso do foblet.


Desempenho

O Xperia Z Ultra tem configurações de ponta, com processador quad-core de 2,2 GHZ e 2 GB de RAM, que fazem com que vídeos de alta resolução rodem sem problemas. Aplicativos de redes sociais tem uso fluido, sem travamentos. Seu sistema Android 4.2.2 (Jelly Bean) não decepcionou: sem bugs, jogos com Angry Birds, Cut the Hope, Candy Crush e Homem de Ferro 3 funcionaram bem. A própria interface do Z Ultra é responde bem ao toque, trocando de telas com facilidade, sem aqueles travamentos incômodos de alguns aparelhos.

Um acontecimento estranho durante os testes foi o aparelho apagar, mesmo com mais de 60% de bateria: sua tela simplesmente ficou escura e o gadget não voltou a responder de forma alguma. Foi necessário deixá-lo na tomada por algum tempo para que ele voltasse a ligar. Pode ser problema isolado ou algo geral que merece atenção para um aparelho tão caro.


Imagem

Mas caso alguma coisa parecida aconteça com você, saiba que o aparelho vem com um pequeno botão de "off" na cor laranja. Ele funciona se o foblet parar de responder e fica ao lado da entrada de cartão SIM. Lembrando que esse é um recurso extra e urgente, já que não é possível abrir o gadget para remover a bateria para forçar um desligamento, caso ele trave totalmente. Os detalhes estão incluídos no manual para alguma dúvida.

Fora esse acontecimento, nada mais pode ser falado contra o Xperia Z Ultra, que só teve que ser reinicializado dessa vez. Tomando os devidos cuidados, o foblet funciona perfeitamente, mesmo depois de ficar mergulhado na água.


Entradas e botões

As duas tampas que dão acesso a entrada microSD, chip SIM (justas) e entrada miniUSB são revestidas com material de vedação, fundamental para não permitir que a água entre no aparelho. Por isso, é fundamental, antes de submergir o foblet, verificar se as tapinhas estão devidamente fechadas, deslizando o dedo pela lateral do dispositivo. Uma das desvantagens está na locação do chip de operadora, que deve ser encaixado em um molde plástico antes de ser inserido no gadget.

Imagem

No entanto, retirar esse suporte vai exigir bastante de suas unhas, porque ela é bem difícil de remover. Parece até que não tem nada lá dentro. Foi necessário ler as instruções para saber onde estava o suporte para SIM. Após feito isso, basta encaixar de volta no aparelho, na posição correta. A base que suporta o chip é feita de material plástico bem frágil, que entorta ou quebra facilmente. Isso exige o dobro de atenção.

Imagem

Botões externos? Apenas de volume e o de liga/desliga. Fora esses, tudo se resolve na própria tela: lá estão presente os tradicionais comandos de “voltar”, “home”, além de um atalho para a “visualização de aplicativos/janelas abertas”.

O lado bom é o visual mais clean para o gadget, menos poluído na parte inferior como normalmente os outros aparelhos são, cheios de funções e botões sensíveis ao toque. Por outro lado, se o sistema travar nenhum comando funciona a não ser o de liga/desliga.

Está presente ainda uma entrada para fones de ouvido normais, estranhamente sem vedação. E o melhor, mesmo inundada por água ela continua funcionando perfeitamente. Claro que para utilizar os fones, é preciso esperar um pouco para a entrada secar.


Câmera

As lentes que equipam o Z Ultra não são grandes coisas. Para ajudar a melhorar as imagens, o recurso automático aplica um "auto-blur" na imagem o que deixa mais uniforme. É visível a diferença da foto pixelizada da pré-visualização para o resultado final mais bonito. No entanto, isso só maquia a qualidade mediana da câmera. Outro ponto que deixa a desejar é que, mesmo com luz natural as fotos parecem mais escuras, com ruim balanceamento de luz e sombra.

Imagem

Na parte de trás, a lente fotografa com 8 megapixels, com foto automático, que só tem bons resultados durante o dia ou com bastante iluminação artificial. Mesmo assim, o balanço não é muito bom podendo deixar, as vezes, as imagens estouradas. Fora isso, as fotografias ficam medianas e em pouca iluminação bem granuladas. Um grande ponto negativo do foblet é a ausência de flash para clicar fotos em locais mais escuros. Na câmera frontal, 2 megapixels são suficientes para vídeo chamadas.

Imagem

O menu da câmera e bem confuso com itens que escondem os efeitos e ajustes mais interessantes. É preciso procurar bastante para encontrar as configurações automáticas de ambiente como “praia” e “cena noturna” por exemplo. Assim, a câmera parece oferecer recursos mais básicos do que realmente tem.

Imagem

Imagem

Mas para entender essa bagunça e você poder aproveitar ao máximo do seu aparelho, observe que o menu pode ser acessado tocando no ícone presente no topo direito do app da câmera, que representa o efeito escolhido. Tocando nele são abertos os seguintes recursos:

- Câmera automática (Auto. superior);

- Normal, com sub opções de ligar HDR e regular a entrada de luz na lente;

- Filmadora, que dá acesso ao recurso de gravação de vídeo. Nele, ainda é possível escolher as cenas desejadas de “paisagem”, “praia”, “esportes”, “captura suave”, “modo noturno”, “neve” e "festa". O interessante é que enquanto você filme, um botão para fotografar fica presente na tela, para registrar também imagens;

- Sequencial, para clicar fotografias de cenas em movimento, por exemplo, como algum esporte, com curto espaço de espera entre uma e outra imagem;


Imagem

- Efeito Foto - Um menu é exibido, com quadradinhos que exemplificam cada efeito. Assim, você pode escolher o que mais combinar com sua foto, como simulação de lente olho de peixe, além de alguns filtros com diferentes cores e estilos;

- Foto Panorâmica, que registra imagens mais amplas com a movimentação do celular horizontalmente;

- SCN (seleção de cena) - abriga um menu com opções para ajustes automáticos da câmera de “pele macia”, captura suave, anti-desfoque de movimento, paisagem, HDR, retrato e cena noturna, crepúsculo manual, ajuste de ISO, gourmet, praia, neve, festa, esportes, scaneamento de documentos e fogos de artifícios;
Para finalizar, estão os botões para selecionar as funções de câmera e vídeo frontais.

Já no menu de Configurações, indicado pelo ícone à esquerda, estão as opções: Disparo automático, Detecção de sorriso, Inicio rápido, Geomarcação, Configuração de tempo para pré-visualização da imagem clicada, de 3 segundo para até “ilimitado”, Upload automático, Captura por toque, Som do obturador e Armazenamento de dados.


A prova d’água?

A resposta é sim. O Xperia Z Ultra se mostrou resistente à agua durante os testes, sendo submetido a chuva e mergulhado na torneira, chuveiro e até piscina. Só não é muito aconselhável levá-lo para o mar: com esse tamanho e design fino, que escorrega das mãos, o gadget pode acabar sendo levado pelas ondas.

Imagem

Outro ponto interessante é poder lavar o Z Ultra na água, já que ele fica engordurado facilmente. A desvantagem é que o aparelho, ainda assim, fica com aspecto grudento por algum tempo e pode escorregar quando molhado. Já é fácil deixar o foblet escorregar quando está seco, imagine molhado? Parece mais um sabão do que um celular.

Para não ter problemas quando à resistência à agua é interessante saber que o Xperia Z Ultra, conforme as especificações da fabricante Sony, pode ser submergido até 1,5 m por até 30 minutos. O recurso é interessante ainda em caso de uso chuva, por exemplo, ou se precisar atender uma ligação urgente quando estiver no banho ou piscina: não precisa ter medo de molhá-lo.


Imagem

O touchscreen não funciona na água, o que faz da sua resistência à água funcionar mais como um fator de “segurança”: a vantagem é que ele não vai pifar se algum acidente relacionado com água acontecer, como derramar um copo cheio na mesa com o celular ao lado ou esquecer de tirá-lo do bolso ao mergulhar.

Ou seja, esse recurso é mais uma prevenção do que uma “funcionalidade”. Mesmo assim, um ponto que decepciona é a ausência de um botão de disparo para fotos debaixo d’água, o que poderia ser um diferencial bem divertido já que a tela não responde submergida.


Imagem

Funcionalidades

Apesar de grande, o foblet também faz e recebe ligações como um celular comum. Mas um ponto que decepciona é o baixo volume da chamada: mesmo no máximo é difícil conversar em ambientes sem muito barulho. No ônibus ou na rua então, ouvir quem está no outro lado da linha é bem mais complicado.

Esse ponto não agrada, mas pode ser um bom motivo para utilizar os fones de ouvido que acompanham o aparelho, que são, por sinal, excelentes: com vários tipos de vedação que proporcionam boa experiência de espacialidade. Outra vantagem é a entrada lateral, que ajuda a não deixar o fio na frente da tela enquanto você ouve música e utiliza o gadget.


Imagem

A vibração tradicional, que é habilitada para funcionar quando tocamos em alguma tecla é bem estranha, potente demais e não agrada: para digitar um texto o gadget vibra quase que constantemente, dependendo da velocidade da escrita no teclado virtual.

Bateria

A bateria tem 3.000 mAh de potência e aguenta o dia todo. No entanto, ela é drenada bem rápida quando utilizamos alguma coisa mais pesada, principalmente que envolvam a tela ligada, como assistir filmes em boa qualidade ou utilizar a câmera. Apesar disso, durante os testes, a carga do foblet aguentou bem desde manhã até o final da noite. Foi observado também que ele demora um pouco mais para carregar do que os outros aparelhos, mesmo plugado diretamente na tomada.

Conclusão

O Xperia Z Ultra é sem dúvidas um foblet com design elegante, mas apesar do visual bonito ele não é muito prático no dia a dia, tanto por seu corpo grande quando pela facilidade com que o foblet foge das mãos. Para começar, o dispositivo tem um preço salgado, em torno de R$ 2.599, mas em compensação o desempenho, configurações de hardware e sua super-tela não decepcionam.

Imagem

Vale dar uma olhada pessoalmente no aparelho para ver se ele atende às suas necessidades antes de investir no valor. No entanto, se está procurando um dispositivo com uma tela farta, design bonito e fino, com bom desempenho e que ainda seja a prova d'água, o foblet Xperia Z Ultra da Sony é uma excelente escolha.

Imagem

#FONTE