•  
     

"LIVRO CRESCER SEM MEDO DE VIVER"

Para quem quiser ler, escrevi um tempo atrás um LIVRO (Auto Biografia), porém deixei apenas em rascunho até conseguir correr atrás para publicarem espero que gostem Abraços!


Capítulo 01

Infância






“Uma pessoa pode ter uma infância triste e mesmo assim chegar a ser muito feliz na maturidade. Da mesma forma pode nascer num berço de ouro e sentir-se enjaulada pelo resto da vida.”


Como toda criança normal tem sua infância divertida, mas a minha não era normal e nem tão pouca divertida, já quando pequeno tinha pouco tempo para ver minha família, com 6 anos fui para creche, com 7 entrei na primeira série período integral, até ai parece normal não é mesmo? Passou-se a primeira semana a segunda semana, um mês, parecia ir tão bem, foi quando um incidente aconteceu, estava brincando no parquinho com os meus colegas contudo Alfredo meu melhor amigo que me acompanhava em tudo o que eu fazia, me surpreende por trás, e já com os olhos cheio de lágrima diz, venha aqui, tenho que te contar algo, antes de continuar vou lhe dizer um pouco sobre Alfredo, sabe aquele amigo que mora no mesmo bairro, na mesma quadra, que divide segredos, pois então esse era Alfredo, Venha, vamos, tenho que lhe contar algo dizia ele, mais não sei se posso, e sobre seu Pai e... O sinal no intervalo tocou isso parece meio obvio estávamos na escola, mas mesmo assim Alfredo não desistiu ao voltarmos para sala de aula, ele me olhava como se fosse parecer uma missão impossível, sabe aquelas coisas de cinema, onde o herói faz um drama para salvar o micinho essa era sensação até uma voz surgir, parem já com isso os dois grita a professora se dirigindo a mim e ao Alfredo... Mas eu, eu, não fiz nada, a é então por que você ainda continua olhando para o ele, estão se encarando faz um bom tempo posso saber o motivo? Essa foi então uma boa oportunidade de Alfredo falar o que realmente tinha acontecido, mas caro leitor deve estar se perguntando como meu melhor amigo sabia o que tinha acontecido com meus pais muito antes do que eu? Vou lhe responder a essa questão, o acindente aconteceu em frente à empresa que seu pai trabalhava... Tenho certeza que irão se lembrar daquele primeiro celular Nokia 2280 que tinha o jogo da navinha e snake se recordam, pois então Alfredo tinha um, aliás, ele foi a primeiro a ter das pessoas que conheci, minutos depois do acidente seu pai o ligou, contando tudo o que havia acontecido... Voltando a sala de aula Alfredo ia aos poucos ia dizer aquilo que ia mudar toda a minha vida, mas por medo da minha reação, ou o que eu poderia fazer após ouvir tamanho absurdo, suavemente diz, professora: Estava encarando o Adriano por que ele ainda não devolveu a minha borracha, só gostaria de tê-la de volta... Com um tom irônico me virei para ele, era só isso. Poderia ao menos esperar até o final da aula eu ainda estou usando. Calem-se, interromperam a minha aula por um motivo tão banal como este, já pra diretoria os dois e reflitam no que fizeram novamente o sinal soa, uffa salvo pelo gongo sussurro para Alfredo! Naquela mesma tarde como de costume íamos embora pelo mesmo caminho, falamos sobre diversos assuntos, como desenhos, garotas, figurinhas, mas percebia no meu melhor amigo que algo estava lhe incomodando, você ainda está chateado por que ainda não devolvi a sua borracha, me inclinei, abaixei minha mochila ao chão, retirei o meu penal e lhe entreguei a borracha, continuei a conversar com ele, mas nada mudou, isso estava começando a me irritar, o que foi já devolvi a sua borracha não vou mais emprestar suas coisas, eu prometo comprar uma hoje, Não é isso Adriano disse ele: A é então o que é? A deixa pra lá... Está tudo bem... Vamos mudar de assunto, Pode mandar um abraço pra sua avó quando chegar em casa. Sem entender nada sim, claro... Nem percebi estava tão preocupado em saber no que Alfredo estava pensando que já estávamos na frente do portão da Casa dele... Hen Alfredo não esqueça de passar em minha casa e me chamar para juntos irmos á escola amanhã... Está bem gritou ele! Enfim o dia acabou.


To Be continued....