•  
     

História do Counter Strike

Counter-Strike (também abreviado por CS) é um popular1 jogo de computador, mais especificamente um "mod" de Half-Life para jogos online. É um jogo de tiro em primeira pessoa baseado em rodadas no qual equipes de contra-terroristas e terroristas combatem-se até a vitória. É acessível através do Steam. O jogo inicialmente era para ser um mod para o Unreal Tournament, mas a Valve Software viu uma oportunidade no jogo e comprou-o.
O Counter-Strike foi um dos responsáveis pela massificação dos jogos por rede no início do século, sendo considerado o grande responsável pela popularização das LAN houses no mundo. O jogo é considerado um "desporto eletrônico". Muitas pessoas levam-no a sério e recebem ordenados fixos, existem mesmo clãs profissionais, e que são patrocinados por grandes empresas como a Intel e a NVIDIA.
Pelo mundo existem ligas profissionais onde o Counter-Strike está presente, como o caso da CPL (que encerrou suas atividades em 2008), ESWC,2 ESL,3 WCG4 e WEG.5 No caso da ESWC funciona da seguinte forma: cada país tem as suas qualificações no qual qualquer clã pode ir a uma qualificação em uma lan house em qualquer parte do mesmo país, passando depois às melhores equipes, as melhores equipes de cada país encontram-se depois no complexo da ESWC, localizado em Paris, para disputar o lugar da melhor equipe do mundo de Counter-Strike.
Com a chegada da sequência de Half-Life, Half-Life 2, o Counter-Strike ganhou uma versão com gráficos mais atualizados chamada de Counter-Strike: Source,6 também acessível pelo Steam. Apesar de contar com gráficos mais bem elaborados e correção de erros, essa versão não é oficialmente utilizada nas maiores ligas competitivas principalmente devido a menor divulgação dessa versão e de inúmeras inovações consideradas negativas com relação ao ritmo de jogo, que nessa nova versão é sensivelmente mais lento do que nas antecedentes.
Em janeiro de 2013, um dia após o lançamento de Half-Life para Mac e Linux,7 a versão 1,6 de Counter-Srtike foi também lançada para essas plataformas, novamente sem nenhum anúncio oficial da Valve.8

No Brasil[editar]

Counter-Strike iniciou no Brasil por iniciativa de dois servidores de jogos, Elogica e Unigames, inicialmente, o jogo pouco conhecido, um MOD do Half-Life, atraia poucos entusiastas que entravam nos servers desses dois provedores e aguardavam a entrada de outros jogadores, isso na versão Beta 1 do jogo. Aos poucos o game começou a atrair jogadores do Quake e outros jogos. No Beta 5 do mod já era o jogo online mais jogado no Brasil

Linguagem
A cultura dos jogadores de CS fomentou várias gírias e termos próprios para situações do jogo. Entre os acrônimos e abreviações mais famosos incluem-se os dois times distintos do jogo: T, abreviação para terrorista, e CT, abreviação para contra-terrorista. Outras abreviações referem-se a situações comuns do jogo. Por exemplo, as disputas individuais entre dois jogadores chamam-se X1. Já TK é o Team Killer, jogador que mata outro do mesmo time. HS é o acrônimo para Head Shot, tiro na cabeça. Além de TK, outra gíria negativa a um jogador é "block", que significa bloquear a passagem de um jogador do mesmo time, outras gírias de outros jogos também foi incorporada no Counter-Strike, como "Noob" derivado de Newbie do inglês novato, no jogo tem a intenção de chamar o player de lento ou lerdo Em mapas com prefixo "de_" a missão dos terroristas é armar e detonar uma bomba, enquanto os contra-terroristas devem evitar que isso ocorra. Armar a bomba é frequentemente chamado plantar a bomba, e deve ser feito em um de dois locais específicos do mapa do jogo, chamados B1 e B2. Após armada, a bomba entra em contagem regressiva para a explosão. Há também o neologismo "defusar" (do inglês defuse), que significa desarmar a bomba já armada.
Outros neologismos do jogo incluem "noob", jogador que irrita os demais participantes com ofensas, cometendo fogo amigo propositalmente e outras coisas, há também o "newbie", jogador novato e inexperiente; "rushar" (de rush), seguir com vigor para o objetivo da fase, como plantar a bomba ou salvar os reféns; "single", quando um jogador mata o adversário com somente um tiro; "ammo" (abreviação de ammunition), munição; "sniper" (do inglês), jogador que exerce a função de atirador especial; "xiter" (de cheater), é quem usa algum tipo de trapaça (explicadas acima); "kickar" (de kick), expulsar um jogador do servidor; "camper", jogador que fica escondido, para matar sem que se perceba sua presença, geralmente exercendo papel de atirador especial.
Nos servidores Steam, é muito comum os servidores promoverem partidas mais serias chamados de mix, são partidas de 5X5. Outro tipo que existe também é o chamado fake, que também exige a TAG, mas é como um time falso, criado na hora apenas para jogar aquela partida.
Pelo Steam, existe os campeonatos mais sérios online, e portanto onde tem os jogadores mais experientes,onde treinam praticamente o dia todo.
A cultura do CS promove a formação de clãs, grupos de pessoas que se reúnem para jogar. Abrevia-se por CF ou PCW o confronto de clãs.

Sprays

Sprays são imagens digitais com o qual os jogadores pintam o cenário, em paredes, no chão ou em tetos baixos. Existem diversos desenhos incluídos com o jogo, e também podem ser importados do disco rígido. Em Source os jogadores podem importar qualquer imagem, já no Counter-Strike 1.6 não existe método oficial para importar imagens. Deve se usar um programa especial como o HL Tag Converter por exemplo.
Os sprays são geralmente usados no início da rodada, sobre o corpo de um oponente que o jogador abateu, ou em locais específicos para distrair os adversários. É comum o uso de imagens pornográficas, animadas ou até mesmo chocantes para distração. Existem também vários sprays com logotipos de diversos locais em que os players costumam jogar e assim acabam fazendo uma 'propaganda' do estabelecimento.

Mapas oficiais[editar]
Mapas de reféns (prefixo cs_)
O mapa contém vários reféns mantidos sob a guarda dos terroristas. Estes últimos, devem impedir que os contra-terroristas tenham sucesso no resgate destes reféns. Este tipo de mapa não é muito bem recebido em campeonatos, por oferecer uma certa vantagem para o time dos terroristas. Se, no mínimo, metade dos reféns forem salvos, os Contra-Terroristas ganham a rodada, recebendo, no início do próximo turno, $2500 cada um. Em alguns servidores, o assassinato dos reféns (-$500 cada) pelos terroristas é uma atitude punida, sendo que geralmente o assassino de cinco reféns acaba sendo expulso do servidor. O primeiro contra-terrorista a entrar em contato com um refém recebe $50, e ao entregá-lo em um lugar seguro, recebe $500 por cada um salvo. Os mapas desse tipo mais conhecidos são : cs_assault, cs_mansion. O mapa cs_rio, apesar de ser famoso em nivel nacional, não é um mapa oficial.
Mapas de assassinato (prefixo as_)
No início de cada rodada um dos contra-terroristas é escolhido para ser um VIP, não podendo comprar nenhuma arma, porém equipado com um colete especial de força "200" e uma pistola para defesa. Ele deve ser escoltado por seus companheiros de equipe até um ponto de entrega (geralmente na base dos terroristas). O time adversário deve localizar o VIP e eliminá-lo. A rodada termina imediatamente se isto ocorrer, dando a vitória aos terroristas. E, caso o tempo acabe e o VIP não estiver no ponto de entrega, os terroristas vencem, já que os contra-terroristas não conseguiram cumprir a missão de entregar o VIP.
Poucos jogam esses mapas, e por fim foram extintos do jogo. Motivos para seu repúdio incluem o fato de que o jogador escolhido para ser o VIP perde todas as armas e por causa da grande vantagem dos terroristas: caso eliminem o VIP, os terroristas ganham. Para que a rodada não termine rápido, dando a vitória a os terroristas, os contra-terroristas tem uma certa desvantagem: é proibido o uso de armas para franco-atirador.Os mapas mais conhecidos desse tipo são :as_oilrig e as_tundra.
Mapas de detonação (prefixo de_)
Nestes mapas o objetivo da equipe terrorista é detonar um artefato explosivo (bomba C4) num dos pontos de detonação possíveis (geralmente são dois pontos). A bomba C4 só pode ser colocada em uma dessas zonas pré-determinadas, também chamadas de bombs sendo o b1 e o b2. Se os Terroristas não conseguirem detoná-la ou se estes mesmos forem eliminados e a bomba não for plantada os contra-terroristas ganham a rodada.
Os contra-terroristas ganham se eliminarem toda a equipe adversária antes da armação da bomba, se desativarem a bomba (o que pode ser agilizado com o auxílio de um kit de desarmamento, o defuser) ou ainda se até o término da rodada os terroristas não conseguirem armar a bomba. Os mapas mais populares desse tipo incluem de_dust, de_dust2,de_aztec, "de_nuke", "de_inferno" e "de_train".
Há também mapas csde_, no qual, além de desarmar a bomba C4, também é preciso resgatar reféns.

Equipamentos

Um dos motivos do sucesso do Counter-Strike é o seu sistema de compra e seu grande arsenal. Por motivos legais, o nome de algumas armas teve que ser modificado no jogo, assim que o primeiro nome é o real, e o segundo, do 1.6 em diante. Algumas informações sobre as especificações das armas estão erradas no jogo. Os equipamentos do jogo consistem basicamente de armas de diversos portes e de utilitários bélicos. As armas estão divididas em pistolas, escopetas, sub-metralhadoras e rifles e metralhadoras. Os utilitários consistem de granadas(Que podem causar dano,cegar ou atrapalha o oponente), coletes de segurança, óculos de visão noturna e kits difusores (utilizados para desarmar a bomba). Um jogador pode carregar consigo uma pistola, um outro tipo de arma de grande porte e um número limitado de utilitários.

Counter-Strike: Source[editar]
Para alavancar as vendas de Half-Life 2, a Valve Software usou os seus direitos com a série Counter-Strike para criar uma versão melhorada, com a redução de alguns erros clássicos e novos gráficos. Inicialmente, Counter-Strike: Source foi disponibilizado em versão beta para LAN houses que tivessem feito uma pré-encomenda de Half-Life 2.12 Quem comprou a versão mono jogador de Counter-Strike: Condition Zero, também ganhou o direito de conferir o jogo com exclusividade na fase beta, assim como alguns clientes da ATi Technologies.
Com o lançamento de Half-Life 2, o jogo ficou restringido apenas aos compradores de Half-Life 2. No início havia poucos servidores de Counter-Strike: Source, principalmente servidores brasileiros. Após a divulgação do jogo principal com altas notas na imprensa especializada, novos servidores locais brasileiros surgiram, migrando uma boa parte dos jogadores da versão anterior.
A tecnologia HDR foi introduzida no Counter-Strike: Source em 1 de dezembro de 2005, com o lançamento do primeiro mapa incluindo esta tecnologia, de_nuke. O mapa cs_militia foi lançado no dia 18 de janeiro de 2006.
Apesar de o Source ter tantas melhoras em relação ao Counter-Strike 1.6, este último ainda é mais jogado segundo a Steam.
Counter-Strike: Mini-Source[editar]
A versão Mini-Source do Counter-Strike utiliza a engine do Half-Life 1, tornando-se severamente leve em comparação ao Source do Half Life 2. A versão original do projeto Mini-source foi ao ar em 2008 e durou poucos meses, tendo um site com .com.br como suporte para auxiliar os jogadores. Há algumas cópias mal-feitas circulando pela internet, que são apenas skins do projeto oficial desenvolvido pela antiga eMakers. Ao contrário destas cópias, o servidor original nunca esteve disponível para download e as cópias do Mini-source nunca conseguiram recriar o código original. Atualmente é impossível encontrar o Mini-source pela internet, há apenas versões falsas que não contém os sistemas originais montados pela eMakers.
Lista de versões[editar]
Segue abaixo uma lista de versões do jogo e suas respectivas datas de lançamento.13
Beta 0.6 – 14 de Abril de 1999
Beta 1.0 – 19 de junho de 1999
Beta 1.1 – 27 de junho de 1999
Beta 1.2 – 20 de julho de 1999
Beta 2.0 – 13 de agosto de 1999
Beta 2.1 – 17 de agosto de 1999
Beta 3.0 – 14 de setembro de 1999
Beta 3.1 – 16 de setembro de 1999
Beta 4.0 – 5 de novembro de 1999
Beta 4.1 – 1 de dezembro de 1999
Beta 5.0 – 23 de dezembro de 1999
Beta 5.2 – 10 de janeiro de 2000
Beta 6.0 – 10 de março de 2000
Beta 6.1 – 24 de março de 2000
Beta 6.2 – 26 de março de 2000
Beta 6.5 – 5 de junho de 2000
Beta 6.6 – 22 de junho de 2000
Beta 7.0 – 26 de agosto de 2000
Beta 7.1 – 13 de setembro de 2000
1.0 – 8 de novembro de 2000
1.1 – 10 de março de 2001
1.2 – 12 de julho de 2001
1.3 – 19 de setembro de 2001
1.4 – 24 de Abril de 2002
1.5 – 12 de junho de 2002
1.6 – 15 de Setembro de 2003
Condition Zero - 21 de Março de 2003
2D - Counter-Strike 2D é um CS em 2D com novos modos e mapas que o normal nao tem 2003
Source - 11 de Agosto de 2004
Neo - Counter-Strike Neo é uma adaptação japonesa para arcade de Counter-Strike. É publicado pela Namco, e é executado em um sistema Linux 2006
Online - Existe 7 versoes por agora e vai aparecer mais versoes 2007
Counter-Strike: Global Offensive - Novo CS com novos counteudos, itens, mapas, players e mapas 21 de agosto de 2012
Online 2 - A nova versao do Online com o Source Engine. Por agora so a para a Coreia e vai haver pra taiwan 2012
Counter-Strike Online

Counter-Strike Online[editar]
É um remake do Conter-Strike Condition Zero feito e distribuído pela Nexon Corporation com licença e supervisão da Valve Corporation. Essa versão é gratuita e só está disponível oficialmente em países asiáticos.
Counter-Strike 2D[editar]
Uma versão em 2D baseado nos jogos da franquia. Possui vários modos de jogo, como zumbi e soccer, inexistentes na versão oficial e em 3D. Ele não possui qualquer envolvimento ou autorização da Valve, sendo assim não é considerado um jogo da série Counter-Strike.
Counter-Strike Neo[editar]
É uma recriação japonesa dos jogos da série feito pela Namco para rodar em Linux. Utiliza a engine gráfica GoldScr, a mesma dos jogos Counter-Strike e Counter-Strike Condition Zero. Assim como a versão em 2D do jogo, ele não possui qualquer envolvimento, sequer autorização da Valve, então não entra na lista de jogos oficiais da franquia.
Counter-Strike Online 2[editar]
É uma nova versão do Counter Strike Online com o motor Source Engine 2004 e 2007 melhorado. Por agora, está disponível para a Coreia e vai haver pra taiwan.
Proibição no Brasil[editar]


O Wikinotícias tem uma ou mais notícias relacionadas com este artigo: Counter Strike e EverQuest estão proibidos no Brasil
Entre 18 de Janeiro de 2008 e 18 de Junho de 2009, a comercialização de livros, encartes, revistas ou CD-ROM, contendo o jogo Counter-Strike foi proibida em território brasileiro por violência excessiva, conforme decisão da justiça do país.14
O juiz responsável argumenta que Counter-Strike e o jogo EverQuest "trazem imanentes estímulos à subversão da ordem social, atentando contra o estado democrático e de direito e contra a segurança pública, impondo sua proibição e retirada do mercado". A empresa responsável pelo jogo alegou que a fase que o juiz utilizou como motivo para proibir a venda, cs_rio, foi produzida por fãs, não estando contida no jogo original. Porém, o juiz Silva Costa Torta ganhou a ação e o jogo estava proibido de ser vendido. Ainda era possível, no entanto, utilizar o gerenciador Steam para comprar eletronicamente qualquer versão do jogo.
Entretanto, decisão de Junho de 2009 liberou a comercialização do jogo.15
Counter-Strike: Global Offensive[editar]

Um dos jogos mais populares e polêmicos do Brasil, vai ganhar uma continuação no começo de 2012. Em Counter-Strike: Global Offensive terá novos mapas, personagens, armas e conteúdo do jogo original, como o famoso mapa de_dust.
Além disso, a Valve, produtora do game, confirmou que Global Offensive também terá novos modos, placar de pontuação online e além de várias novidades. O lançamento está previsto para o começo de 2012 para as plataformas Xbox Live Arcade (Xbox 360), PlayStation Network (PS3), MAC e PC.
Counter-Strike: Global Offensive já possui um site no sistema de vendas digitais da Valve, o Steam.


Créditos WikiPédia
 
kk, Wikipedia não é muito confiável na minha opinião. Mais explica muito bem.
 
heheh Vlw
 
- Nunca tive a curiosidade de procurar a hidtoria do cs. k
 
heheh da uma Olhada bem interessante