•  
     

Estudo sugere que Twitter pode detectar surtos de HIV

Imagem

Pesquisadores da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA) conseguiram relacionar certos tipos de mensagens postadas no Twitter ao aumento do contágio por HIV e sugeriram que a rede de microblogs pode ser usada para controlar surtos.

A equipe por trás da pesquisa trabalha no Centro de Comportamento Digital da instituição. Eles cruzaram tweets sobre uso de drogas e comportamento sexual arriscado aos dados geográficos sobre HIV.

Mais de 550 milhões de mensagens foram coletadas entre 26 de maio e 9 de dezembro de 2012. Um algoritmo foi montado para separar os tweets que continham expressões como “sex” e “get hight” (algo como “ficar chapado”); então essas informações foram comparadas às estatísticas de contágio.

Há uma relação comprovada entre as duas coisas, segundo os pesquisadores. O problema é que os dados utilizados são de 2009, então não refletem o cenário atual e, por isso, o estudo está impossibilitado de ajudar campanhas de prevenção.

Califórnia, Texas, Nova York e Flórida são os estados com maior número de tweets relacionados ao risco do HIV. Washington DC, Delaware, Louisiana e Carolina do Sul são os que apresentam taxa per capta mais expressiva de mensagens ligadas ao vírus.


Fonte