•  
     

DEPOIMENTO DO RASHID SOBRE A MORTE DO DALE$TE

O Rap sempre lutou contra o preconceito, porque nasceu e se desenvolveu no gueto, na periferia, na margem da sociedade. E devido a isso, sempre fomos julgados como vagabundos, sempre disseram que nossa música, nossas roupas, nosso comportamento e nossas gírias, são coisas de bandido.

Perdi a conta de quantas vezes eu e meus amigos fomos 'abordados' de forma violenta por policiais, ou fomos discriminados em restaurantes, lojas ou bancos.

A medida que fui crescendo, percebi que essas coisas não aconteciam só comigo e meus amigos, ou só com a gente do Rap. Vi que essas coisas aconteciam também com o pessoal do Funk, do Reggae, do Samba e qualquer outro ritmo ou cultura que predomine nas quebradas.
Sabe porque?
Porque viemos do mesmo lugar, temos a mesma cara! Somos ligados pela cor e/ou pela origem e/ou pela descendência e infelizmente, pela forma pejorativa que o resto do mundo nos olha.

E por esse motivo, nossa luta é pra quebrar as algemas da mente das pessoas, de quem ainda tem essa visão sobre nosso povo e nossa cultura.

Agora o por que de eu escrever isso...
Hoje eu recebi a notícia de que um MC de Funk morreu, o MC Daleste.
Sabe como ele morreu? Tomou um tiro enquanto estava no palco, cantando.

Essa notícia me abalou de várias formas. Perdemos um colega da música, perdemos um talento do gueto que estava se dando bem, perdemos mais um mano de forma violenta e acima de tudo... Uma vida é sempre um vida.

Depois disso, pensei: Caramba, poderia ser eu! Em qualquer palco por aí! Poderia ser eu mano...
Poderia ser qualquer um dos meus irmãos cantando, ou um dos meus ídolos.
Escrevi que enquanto estamos no palco, estamos manifestando nosso amor pela música, estamos vivendo o sonho, e quem imaginaria que ali seríamos tão vulneráveis as más intenções de outras pessoas.

Não sei por qual motivo aconteceu, não sei se realmente existia um motivo, e não cabe a mim julgar.
Mas vi sim, dezenas (ou mais) de pessoas fazendo piadas com a morte do Daleste, e até comemorando o triste fato.
Que tipo de ser humano comemora a morte de outro ser humano?
Simplesmente por não gostar de Funk?
Por achar "isso ou aquilo" da música que ele fazia?
Pra mim isso é apenas uma desculpa para pobreza de espírito.
E hoje, muita gente deu um belo show de pobreza de espírito.
Infelizmente.
Desculpem pelo texto gigante, mas o papo é reto.



https://www.facebook.com/RashidOficial?fref=ts