•  
     

Conheça a história de 5 dos ninjas mais lendários do Japão

1 – Mochizuki Chiyome
Imagem
Fonte da imagem: Pixabay

Considerada como uma das kunoichi — ninja mulher — mais famosas de todos os tempos, reza a lenda que Mochizuki Chiyome foi esposa do senhor da guerra Mochizuki Nobumasa e, apesar de pertencer à nobreza, teria fundado um grupo de mulheres guerreiras no século 16. A formação do “exército” teria sido uma sugestão de Takeda Shingen, tio de seu marido e um dos mais importantes samurais japoneses.

Chiyome teria sido deixada aos cuidados de Shingen enquanto Nobumasa estava guerreando, e o grupo de mulheres — formado por 300 jovens, em sua maioria, órfãs, vítimas de guerra e prostitutas — teria sido especialmente treinado para assassinar e formar uma elaborada rede de espionagem. O quartel general ficava no vilarejo de Nazu, situado na região de Shinshu, e a população acreditava que o local era um mero orfanato administrado por Chiyome.

2 – Ishikawa Goemon
Imagem
Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Goemon foi um lendário fora-da-lei que, no século 16, atuava como uma espécie de Robin Hood japonês, roubando dos ricos para entregar aos pobres. Segundo a lenda, Goemon originalmente era um genin — aprendiz de ninja — do clã Iga, até que resolveu se tornar um nukenin (ou ninja fujão) e formar um grupo de bandidos que atacava ricos mercadores, senhores feudais e clérigos.

Os tesouros roubados eram compartilhados com os mais oprimidos, mas a carreira de “Goemon Hood” acabou depois de ele ser capturado durante uma tentativa de assassinato frustrada a Toyotomi Hideyoshi, poderoso senhor feudal e um dos grandes unificadores do Japão. Como castigo, o fora-da-lei foi fervido vivo publicamente enquanto segurava o próprio filho sobre a cabeça.

3 – Hattori Hanzō
Imagem
Fonte da imagem: Pixabay

Provavelmente um dos ninjas mais famosos que já existiu, Hattori Hanzō era samurai e foi vassalo do clã Matsudaira. Ele serviu ao Shōgun (ou Grande Guerreio) Tokugawa Ieyasu fielmente, e foi um dos principais responsáveis para que esse importante líder subisse ao poder e se tornasse governante de todo o Japão durante o século 16.

Segundo a lenda, Hanzō passou a comandar um grupo de ninjas e se tornou famoso graças a algumas técnicas extraordinárias que desenvolveu nos campos de batalha, e diz-se que ele possuía várias habilidades, como a clarividência, a telecinésia, teletransporte e a precognição, qualidades que lhe renderam o apelido de Demônio. No entanto, apesar de todos esses “poderes mágicos”, dizem que Hanzō foi assassinado pelo guerreiro rival Fūma Kotarō.

4 – Fūma Kotarō
Imagem
Fonte da imagem: Reprodução/ListVerse

Líder de um clã independente especializado em ações de guerrilha, espionagem naval e batalhas a cavalo, Fūma Kotarō ficou famoso por comandar um bando com 200 integrantes divididos em ladrões, assassinos, piratas e salteadores. No entanto, a maior façanha deste ninja — além de supostamente assassinar ao grande Hattori Hanzō — foi a de se infiltrar em segredo com seus homens em um acampamento chefiado por Takeda Katsuyori.

Katsuyori foi o sucessor de Takeda Shingen e era rival de Kotarō, e a ação dos ninjas infiltrados provocou uma enorme confusão que resultou nos homens de Katsuyori atacando e matando uns aos outros. Anos mais tarde, os ninjas de Kotarō foram vencidos e reduzidos e simples bandidos e, depois de ser finalmente capturado, ele teria sido decapitado por ordem de Tokugawa Ieyasu, o Shōgun protegido por Hanzō.

5 – Katō Danzō
Imagem
Fonte da imagem: Reprodução/ListVerse

Danzō foi o ninja responsável por popularizar a ideia de que esses guerreiros tinham poderes sobrenaturais, já que, segundo a lenda, ele era um feiticeiro. Testemunhas teriam visto Katō engolir um boi inteiro, fazer com que sementes florescessem ao atingir o solo e até voar diante de todos. No entanto, hoje a teoria mais aceita é a de que o ninja era um habilidoso ilusionista capaz de hipnotizar sua “plateia”.

De qualquer maneira, a fama de Danzō acabou se espalhando, e Uesugi Kenshin — um importante senhor feudal — resolveu testar as habilidades do ninja. A prova consistia em roubar a espada de um vassalo de Kenshin que se encontrava no interior de um castelo fortemente guardado sem ser pego. Danzō não só trouxe a arma, como uma jovem serviçal também, o que lhe rendeu um “emprego” na guarda de Kenshin.

Contudo, com o tempo, devido às habilidades místicas do ninja, o senhor feudal começou a ficar desconfiado, e Danzō teve a péssima ideia de se unir ao exército de Takeda Shingen, rival de Kenshin. O problema é que Takeda começou a suspeitar que o feiticeiro pudesse ser um espião infiltrado a serviço do inimigo, ordenando sua morte por decapitação em meados do século 16.

FonteListVerse