•  
     

Confira 7 dicas para deixar sua rede Wi-Fi mais segura

A prática se tornou comum: você assina algum serviço de internet, e o provedor oferece um roteador sem fios, como parte do pacote. Até aí, tudo bem. Só que há dois problemas à vista. O primeiro é que nem sempre esses roteadores são os melhores. E, depois, tem a chance de o técnico da operadora não fazer exatamente a melhor configuração. Especialmente no que diz respeito à segurança. Mas, resolver esse problema é relativamente simples.

Reunimos 7 dicas super bacanas que podem evitar dores de cabeça no futuro. O uso indevido de redes wi-fi é um problema maior do que você pode imaginar. Além da questão da segurança, tem a questão do desempenho. Pode até ser o seu caso: a internet fica lenta justamente porque algum vizinho espertalhão está usando a sua conexão sem que você saiba... Vamos às dicas!

É importante ter uma senha de acesso à sua rede. Se você não configurar uma senha para sua rede, ele fica aberta e qualquer um pode se conectar a ela. Ou seja, você precisa configurar o roteador e definir uma senha para sua rede. Nessa hora, você terá de escolher que tipo de encriptação dos dados será usada. Nós recomendamos a WPA ou WPA2. A WPA2 é nossa aposta.

"A recomendação é que seja usada encriptação WPA (Wi-Fi Protected Acess), e não a WEP, que é mais antiga, mais fácil de ser quebrada e menos segura" diz Camillo Di Jorge, country manager da ESET Brasil.

Outra dica importante é mudar o nome padrão da sua rede. Na maioria das vezes, os roteadores vêm com o nome da rede configurado com o nome do fabricante ou modelo do roteador. Isso facilita a vida do atacante que, assim, dispõe de informação suficiente para explorar qualquer vulnerabilidade conhecida no dispositivo. Se o nome identifica o provedor de internet, também é possível descobrir o modelo de roteador utilizado por aquela empresa. O melhor a ser feito é usar um nome que informe a menor quantidade de informação possível.

Vários roteadores trazem esse símbolo aqui: o WPS. Teoricamente, esse é um recurso para facilitar a sua vida, tornando a conexão de dispositivos mais fácil. Mas, nossa dica é não usar esse recurso. A função WPS é bastante vulnerável e deve ser evitada sempre que possível.

"O WPS deixa uma porta de entrada no roteador. Por exemplo: quando você usa access points, que você aumenta o alcance da sua rede. Existem formas de se conectar a esse roteador principal usando o protocolo, então se ele fica aberto, sua rede fica suscentível a invasões", explica Di Jorge.

Você sabia que é possível criar uma lista com todos os equipamentos que podem se conectar à sua rede? É a chamada lista branca. Isso é feito através do filtro por endereço MAC. Esse é um número único, que identifica cada máquina ou equipamento – é como se fosse um RG de cada aparelho. No roteador, é possível especificar uma lista de endereços MAC de modo que somente esses dispositivos possam se conectar à rede.

"Outra forma de colocar um limite, é definir quantos aparelhos podem se conectar à rede. Então você inclui a TV, o computador, o smartphone e um espaço para a visita. Então você configura que até quatro se conectem. Se um quinto aparelho tenta se conectar, o roteador não permite", explica Camillo Di Jorge.

Esse truque é simples e garante uma proteção extra sem muito trabalho; basta desativar a exibição do nome da sua rede. Com a rede “escondida” é muito mais difícil que ela seja alvo de qualquer ataque. Você pode configurar tudo o que quiser, conectar os equipamentos que deseja e depois, ocultar... se, depois, você mudar de idéia, basta torna-la visível novamente.

Ah, atenção é muito importante que você cheque, periodicamente, se existem atualizações para o firmware do seu roteador; essas atualizações costumam corrigir erros críticos de segurança, além de melhorar a performance do aparelho. O único problema é que você precisa descobrir se há atualizações sozinho; faça isso de seis em seis meses – é suficiente e vai evitar que sua rede esteja mais vulnerável a ataques e invasões.

A sétima dica de hoje é pra ficar na cabeça de todo mundo. Aliás, ela deveria ser a primeira medida de segurança a ser tomada por todo usuário de redes sem fio: mudar a senha de acesso ao roteador. Não confundir com a senha de acesso à rede sem fio. Geralmente, para acessar os roteadores basta digital Admin no nome do usuário, e admin novamente na senha. Dependendo do fabricante, não precisa nem preencher o campo da senha: basta colocar admin no campo do usuário e dar enter para acessar. Você precisa alterar isso no seu roteador para que estranhos não consigam mexer nas suas configurações. E é simples fazer isso: ao acessar o painel de configuração do roteador, procure pela área de segurança do aparelho. Lá, você pode definir um novo usuário e uma nova senha de acesso a seu roteador.

A maioria dos painéis de controle dos roteadores já vem em português, o que facilita a vida. Acredite: é importante investir algum tempo para aprender a configurar seu próprio roteador e toda sua conexão wi-fi.

"São terminologias fáceis, que o usuário pode aprender e fazer a configuração do roteador. E ele deve mexer nisso", completa o country manager da ESET.


#FONTE