•  
     

Análise: Entenda por que a Apple provocou tanto a Microsoft em seu evento

Imagem

Embora a briga mais visível da Apple atualmente seja contra a Samsung, quem acompanhou o evento da empresa ontem deve ter notado o tom zombeteiro que os executivos adotaram para atacar a Microsoft. Isso ocorreu porque alguns produtos focados pela marca da maçã nessa terça-feira, 22, apresentam uma vantagem importante em relação aos da Microsoft: a financeira.

Em primeiro lugar, agora qualquer um que tenha comprado um computador da Apple a partir de 2007 pode atualizar o sistema operacional gratuitamente. No ano passado, quando a empresa lançou o Mac OS X Mountain Lion, usuários tinham de pagar US$ 19,99 (cerca de R$ 40) pela instalação. A versão anterior, Lion, custava US$ 30 (cerca de R$ 61).

Os dois modelos, juntos, não chegam a custar metade do que a Microsoft pede pelo Windows 8.1. Quem tem do Windows 7 para baixo precisa pagar R$ 410 para adquirir a versão mais nova do sistema.

Como se isso não bastasse, agora a Apple oferece o pacote iWork gratuitamente aos novos consumidores, sendo que antes os aplicativos de escritório para Mac, iPhone e iPad saíam por US$ 10 cada.

A Microsoft, por sua vez, ainda não tem uma versão do Office para iPads, apesar de o CEO Steve Ballmer já ter dito que ela está sendo desenvolvida. Enquanto isso, a companhia oferece o Office 365 em outros dispositivos por US$ 100 ao ano.

Ontem a Apple também atualizou sua linha de iPads, que pode não navegar mais sozinha no mercado de tablets, mas ainda é uma das que mais trabalha para tirar os PCs do trono. E aí a Microsoft perde bastante, pois se até hoje seu Windows domina o setor de computadores, a versão do sistema para dispositivos móveis ainda não decolou.

Com os consumidores se virando cada vez mais para os tablets e empresas como Google e Apple oferecendo aplicações importantes gratuitamente (ou a preços baixos), talvez a Microsoft não tenha fôlego para alcançar os rivais futuramente.


#FONTE