•  
     

Adriano volta aos gramados após 22 meses, e Furacão vence o Strongest

Imperador, que não jogava desde março de 2012, entra no final da vitória por 1 a 0 sobre o time boliviano. Atlético-PR divide a liderança do grupo 1 com o Vélez Sarsfield

Imagem


O Atlético-PR venceu o The Strongest por 1 a 0 na noite desta quinta-feira, na Vila Capanema, pelo grupo 1 da Libertadores. Mas um jogador em especial pôde comemorar mais do que os três pontos. Sem jogar desde março de 2012, quando defendeu o Corinthians contra o Santos pelo Paulista, o atacante Adriano voltou aos gramados. Entrou aos 40 minutos da etapa final, praticamente não tocou na bola e não finalizou contra o gol rival. Mas quem se importa? Após ameaçar largar a carreira de jogador por várias lesões e problemas extracampo, o Imperador era só alegria.
O gol da vitória rubro-negra saiu antes. Ainda no primeiro tempo, o volante Paulinho Dias marcou o gol da vitória. Com o resultado, o Furacão divide a liderança com o Vélez Sarsfield - que venceu o Universitario no outro jogo da rodada.

Na próxima rodada, o Atlético-PR joga contra o próprio Vélez Sarsfield, próximo dia 25, uma terça-feira, no José Amalfitani, na Argentina. Já o The Strongest busca a reação contra o Universitario, dia 20, quinta-feira, no Hernando Siles, na Bolívia.
A partida teve 11.731 presentes (10.485 pagantes e R$ 234.995,00 de renda). Eles viram um primeiro tempo brigado, mas com vantagem rubro-negra. Os times apresentavam o mesmo desenho tático: o 4-4-2. O time de Miguel Ángel Portugal, porém, tinha uma postura mais ofensiva. Os laterais Sueliton e Natanael apoiavam bastante. O volante Paulinho Dias também aparecia constantemente na frente. E foi dele o primeiro gol. Sueliton cruzou, e o camisa 17 apareceu na pequena área para fazer 1 a 0 no primeiro tempo.
A qualidade da partida caiu no segundo tempo. O Atlético-PR rondava a área adversária, mas tinha dificuldades para chegar ao gol adversário. Quando os espaços apareceram, Natanael e Ederson erraram o alvo. Irritados, torcedores pediram a entrada de Adriano. O técnico, porém, colocou Bruno Mendes e Mirabaje - que estreou com a camisa rubro-negra. Só aos 40 minutos, Miguel Ángel colocou o Imperador. Ele apareceu pouco no jogo, mas o suficiente para fazer a festa da torcida e para conquistar uma vitória pessoal.


Imagem


Atlético-PR e The Strongest sofreram com a forte marcação e com as péssimas condições do gramado nos 15 minutos iniciais. A partida limitava-se ao meio-campo. Depois, o jogo melhorou. Os mandantes assustaram com Ederson, que obrigou o goleiro Jemio a fazer a primeira defesa da partida, e com Natanael, que bateu por cima do gol. Apesar de mais cauteloso, com duas linhas de quatro jogadores e apenas Pablo Escobar e Boris Alfaro na frente, o Tigre também levou perigo. Primeiro, Alfaro bateu para fora. Depois, Ríos parou em Weverton.
Apoiado pela torcida, que lotou a Vila Capanema, o Furacão partiu para a pressão. Aos 19, Sueliton acertou o travessão, e Ederson obrigou Jemio à difícil defesa. Aos 22, não teve jeito. Sueliton, figura constante no campo de ataque, cruzou com precisão, e Paulinho Dias apareceu como um centroavante para mandar a bola para o fundo das redes: 1 a 0 e festa rubro-negra. Depois, o jogo continuou movimentado, mas as chances de gol tornaram-se mais raras. O Furacão só voltou a assustar aos 37, quando Ederson bateu, a bola desviou e saiu rente à trave.

Os times voltaram para o segundo tempo sem alterações, mas o ritmo da partida caiu. O Atlético-PR rondava a área adversária, mas sem conseguir criar um lance de perigo. Uma pela pontaria de Natanael, que apareceu livre e bateu para fora. Outra pela forte marcação boliviana. Com isso, aos 12, os torcedores já ensaiaram um coro pedindo a entrada de Adriano. O The Strongest quase empatou. Mas Weverton salvou o cacebeceio de Lopez e o chute cruzado de Alfaro. Miguel Ángel Portugal, então, mexeu no time, mas não colocou o Imperador. Mosquito e Fran Mérida saíram para as entradas de Bruno Mendes e Mirabaje. O jogo continuou mais brigado do que jogado. Em rara oportunidade, Ederson apareceu livre pela direita, mas errou o alvo.
O jogo caminhava para uma vitória magra do Atlético-PR, mas sem muita emoção. Até Miguel Ángel, aos 40 do segundo tempo, colocar o Imperador, para delírio da torcida. O atacante pouco tocou na bola, mas pôde comemorar uma importante vitória - pessoal e coletiva.
- É um dia muito importante. Poder volta a jogar era a coisa mais importante para mim. Obrigado a todos, disse o Imperador logo após o fim do jogo.


Imagem


Fonte
Fonte